“Se eu vi mais longe,

foi por estar sobre ombros de gigantes”

Isaac Newton
Auto-retrato a óleo do fundador da casa,
António dos Santos

António dos Santos, estudante da então Academia Portuense de Belas Artes, não dispunha de nenhuma oficina na cidade do Porto onde encomendar as molduras para as suas peças. Começou, portanto, a fabricar os seus próprios modelos, inspirados nas molduras francesas, inglesas e holandesas que se produziam na época. A sua arte e engenho foram rapidamente aclamados e admirados pelos seus colegas artistas. As encomendas não tardaram a chegar e o nosso saudoso fundador António dos Santos juntou-se então ao seu irmão, José dos Santos, e fundou a primeira casa de molduras do Porto e de todo o norte de Portugal, a então denominada Santos & Irmão, corria o ano de 1858.

Ao longo de mais de século e meio de existência, foram vários os modelos de molduras concebidos por reconhecidos artistas portugueses, dos quais se destacam Marques de Oliveira, António Carneiro, Henrique Medina e Fernando Lanhas.

O conhecimento das técnicas de fabrico de molduras e restauro de obras de arte foi passando de mestre a aprendiz desde a fundação para que hoje possa usufruir de produtos atestados pelo tempo.



Aguarela da casa, da autoria de Ortiz Alfau

Entre os prémios pelo seu trabalho, destacam-se a Medalha de Bronze na Exposição Universal de Paris de 1900, e a Medalha de Ouro na Exposição Industrial Portugueza, em 1933.

Em Setembro de 2018, a casa Santos & Irmãos foi classificada como um estabelecimento Porto de Tradição, com votação favorável e unânime pela Assembleia Municipal do Porto, devido à importância que teve, e tem, na vida artística da cidade.

Actualmente, é a oficina de molduras mais antiga do mundo.